17 novembro 2020
Follow Us
  • Home
  • Blog
  • A formação profissional em tempos de COVID

A formação profissional em tempos de COVID

O artigo que vos trago hoje pretende fazer uma pequena reflexão sobre o desafio que a formação enfrenta em tempos de pandemia. Vamos ver como as empresas de formação se têm adaptado e como o público tem reagido a este desafio, que também traz oportunidades.

 A formação profissional é um direito que todos os trabalhadores têm, previsto no Código do Trabalho. No entanto, há ainda muitos empregadores que olham para a formação como um fator de quebra de produtividade, quer se trate de enviar um colaborador para a formação, quer se trate de organizar formação na própria empresa. A pressão da produtividade que todas as empresas enfrentam, mais sentida nesta altura de mudanças e adaptações à nova realidade, deu origem a estratégias inovadoras, por parte das empresas formadoras, para poderem responder às necessidades de formação que todas as empresas sentem.

Se já antes da pandemia, as empresas formadoras tinham de adotar estratégias de incentivo para chegarem às empresas clientes, frisando as mais valias que a frequência de ações de formação têm para a elevação das competências dos seus colaboradores, agora, em período de pandemia, com o teletrabalho e todas as restrições que são sentidas, cada vez em mais setores de atividade, onde foi necessário reforçar a autonomia dos trabalhadores, urge criar e adotar novas estratégias.

O desafio que as empresas enfrentam

Com as medidas impostas de distanciamento social e restrição quanto ao número de pessoas dentro de um espaço fechado, a modalidade presencial foi imediatamente afetada. Muitas empresas viram-se forçadas a cancelar as suas formações presenciais, o mesmo se passando com os planos de formação à medida, já que se tornou impossível reunir uma turma dentro de uma sala de formação.

A resposta que todas deram foi a substituição da formação presencial pela formação online, através de plataformas que permitem aos formandos e ao formador, estarem em conferência, podendo interagir como o fariam dentro de uma sala de formação física. Mas esta resposta teve, e ainda tem, resistência por parte tanto das empresas, como dos formandos, que argumentam não ser possível formar à distância, e que a qualidade da formação não é a mesma quando as pessoas se encontram cara-a-cara.

No entanto, e baseando-nos na experiência que temos tido com as formações em formato Live Streaming, utilizando uma plataforma online onde formandos e formador estão em simultâneo e em sintonia, posso dizer que é possível a transmissão de conhecimentos, é possível capacitar os participantes e garantir o envolvimento de todos no processo de aprendizagem. Naturalmente, nem tudo é perfeito, e contratempos acontecem, mas o mesmo se passava na formação em sala. São contratempos que se resolvem sempre e, pouco ou nada afetam o natural desenrolar das ações.

É importante referir que ambas as modalidades apresentam as suas semelhanças, mas também há importantes diferenças a ter em conta. Há que ter presente que o ritmo da aprendizagem é diferente, já que a capacidade de atenção continua a ser limitada, e o formador tem de ter a capacidade de perceber se a aprendizagem está a ser efetiva, visto não conseguir acompanhar as reações físicas dos formandos, como acontece no contexto presencial. Portanto, é importante resistir à tentação de fazer online o mesmo que se faz em sala. É importante que sejam introduzidas as necessárias alterações, e que tanto os formadores como os formandos estejam sensibilizados para isso mesmo. 

 As oportunidades conseguidas

Quem trabalha na área da formação sabe a pressão que é sentida para se conhecerem a adotarem sempre as melhores práticas, tentando antecipar sempre as necessidades dos seus clientes. No nosso caso particular, a nossa empresa já vinha a promover as formações em Live Streaming junto dos seus formandos, como forma de ultrapassar o distanciamento geográfico de cada um. Quando surgiu a pandemia e o consequente confinamento a que nos vimos sujeitos, substituímos toda a formação que tínhamos pela modalidade em Live Streaming e desde então, nunca mais paramos. Tanto fazemos formação para o público em geral como para as empresas, com as necessárias adaptações para que todos possam tirar o melhor partido da frequência das nossas ações.

De um modo geral, todas as empresas de formação olharam para a situação da pandemia e transformaram-na em oportunidades, através da formação online, o que constituiu e constitui uma oportunidade para o melhoramento dos seus profissionais (equipa pedagógica e equipa formativa), bem como o melhoramento das competências dos seus formandos, a nível do manuseamento de ferramentas online que lhes permitam assistir à formação.

O caminho faz-se andando e resta-nos agarrar estes desafios e convertê-los em oportunidades de aprendizagem e crescimento. Através da aquisição de competências digitais, é igualmente possível inovar os serviços prestados, tanto pelas empresas de formação, como pelas empresas que recorrem à formação, melhorando a eficiência operacional e o seu desempenho. A oportunidade de aprender cada vez mais tem tendência a deixar de estar circunscrita a uma sala de formação. Do ponto de vista pedagógico, a natural preocupação de ensinar é substituída pela criação de novas e melhores condições de aprendizagem, dando aos formandos novas capacidades e competências, e alterando os conteúdos adaptando-os à realidade online, do quadro para o ecrã do computador.

O paradigma educacional está em permanente transformação e inovação e há que aproveitar sempre os aspetos positivos das adversidades.


Até à próxima!

Ficheiros em anexo


Assine a nossa newsletter e receba o nosso conteúdo diretamente no seu email