Neste artigo, dou a conhecer o Flow, uma nova plataforma da Microsoft que permite automatizar fluxos de trabalho entre as suas aplicações e serviços favoritos. Aqui irá encontrar uma forma de automatizar tarefas repetitivas, definir notificações automáticas para certos eventos, criar fluxos de aprovação e até ver o que dizem da sua empresa nas redes sociais!
 

Nas últimas semanas tenho partilhado uma série de artigos a dar conta da crescente importância das aplicações móveis enquanto ferramenta de Business Intelligence. Através destas aplicações, os colaboradores poderão agora aceder à informação da sua empresa em tempo real, a partir de um telemóvel ou tablet, e tomar as melhores decisões a cada momento. Apesar da poupança de custos e tempo já demonstrada, muitos gestores resistem ainda em dar o primeiro passo, receando um investimento avultado à partida ou largas horas perdidas na implementação e ligação com uma origem de dados. Com o PowerApps, o seu trabalho estará largamente facilitado.

No artigo anterior, tive a oportunidade de introduzir a nova plataforma da Microsoft, o PowerApps, que lhe vai permitir criar aplicações móveis de uma forma rápida e sem necessidade de aprender a programar. É esta simplicidade que permite aos próprios gestores pôr mãos à obra e criar soluções à medida face aos desafios do seu próprio negócio! De forma a perceber um pouco melhor o potencial da plataforma, vamos ver alguns exemplos do tipo de tarefas poderão ser levadas a cabo pelo PowerApps…  

O caminho mais seguro para o Inferno é o gradual – o declive delicado, o piso macio, sem curvas acentuadas, sem marcos, sem sinais. Vem esta frase de CS Lewis, o autor britânico, a propósito das férias de verão e da oportunidade que nos oferecem para travar a rotina e descobrir novas ideias. Aqui ficam alguns esboços do que poderá ser um caminho a seguir a partir de setembro!

Provavelmente já ouviu o termo "Internet das Coisas" (em inglês, Internet of Things) em algum momento. No entanto, vai ouvi-lo mais no futuro, pelo que deve compreender o que é ou o que significa. A Internet das Coisas é uma realidade, compreendendo várias tecnologias e, ao mesmo tempo, fazendo parte de um quadro tecnológico e social/de negócio mais largo.

É, por isso, sem dúvida, o maior desafio colocados às empresas, entidades, organizações e pessoas nos próximos anos. Este sistema relacionado de aparelhos inteligentes, com capacidade de armazenar, processar e de transferir dados sem necessitar de interação, gera oportunidades que as empresas têm de conseguir converter em (novos) negócios rentáveis.

05 dezembro 2017

O que é o BIG DATA?

A quantidade e variedade de dados que as empresas geram diariamente é gigantesca. Grandes ou pequenas, as empresas têm à sua disposição grandes volumes de dados e têm de saber o que fazer com eles. A capacidade de analisar estes dados, muitos provenientes das redes sociais, e transformá-los em informação será (se já não é) um fator chave de competitividade.

“Business Intelligence” e “Tecnologias de Informação” são dois dos termos mais falados no mundo empresarial. As grandes empresas têm departamentos ou áreas do negócio, que se dedicam ao tratamento de dados e divulgação da informação daí decorrente, pelos vários níveis de decisão. Quanto às pequenas e médias empresas, esta situação dificilmente se verifica. Dada a sua estrutura organizativa e capacidade de investimento, as PME’s tendem a limitar a sua análise de dados às folhas de Excel e esperar que estas resolvam os problemas. Os decisores poderão não ter, deste modo, informação crítica de base para poderem tomar decisões e, estas, ficarão apenas pela superficialidade.

O Power BI Mobile é um conjunto de aplicações móveis que permitem aceder aos relatórios e dashboards da sua conta Power BI. É uma solução perfeita para quem pretende manter-se atualizado a todo o momento, mesmo quando não está fisicamente presente na empresa.

A linguagem DAX é bastante extensa e seria necessário aprofundar muito mais sobre o seu funcionamento do que faremos neste artigo. Nas linhas seguintes faremos uma introdução ao tema, mostraremos alguns exemplos de fórmulas que poderá utilizar nos seus modelos de dados e forneceremos algumas referências para investigação, caso pretenda descobrir mais sobre esta linguagem.

A função mais importante dos relatórios de gestão, mais do que meramente informar os stakeholders sobre a vida da organização, é a de fornecer a informação essencial e relevante à ação da gestão. No entanto, verifico que muitas organizações ainda consomem inúmeros recursos, nomeadamente humanos, na “produção de relatórios” que ninguém lê. É no entanto possível e desejável melhorar o processo de construção de relatórios de gestão e torná-los num instrumento útil. Aqui ficam algumas sugestões para isso.