logotipo

Fico sempre surpreendido quando questiono os formandos do curso Excel para finanças sobre a relevância do indicador Rentabilidade do capital investido (RCI), provavelmente a métrica mais determinante para avaliar a capacidade de uma empresa criar valor. A fórmula de cálculo é relativamente simples de compreender e o seu significado também. Então, porque é que poucos sabem o que é uma RCI alta ou baixa? E como relacionar a RCI com a estratégia competitiva da empresa?

Bastava comprar ou produzir algo para depois vender mais caro. A verdade, hoje, é que com a evolução dos mercados, mas sobretudo com a evolução da sociedade, esse requisito torna-se, por si só, insuficiente para criar um novo negócio.

“There is only one boss. The customer. And he can fire everybody in the company from the chairman on down, simply by spending his money somewhere else.” - Sam Walton

As férias de Verão são o momento de descanso por excelência. Para os gestores e empreendedores (e para todos os outros), durante as férias o descanso favorece a reflexão otimista sobre o próximo ano letivo e laboral. Regressamos ao trabalho com mais energia e mais certos do que queremos fazer: expandir a empresa, lançar um novo projeto ou produto, reduzir custos... Para o ajudar a estruturar as suas ideias, recortei um pequeno pedaço do novo curso on-line Plano de Negócios, que identifica três tipos de planos de negócios. Aguardo os seus comentários! 

A sua empresa tem um elevado nível de endividamento. Motivada mais por economias fiscais do que por um modelo de negócio débil, a estrutura de capitais tem facilitado a geração de fluxos de caixa estáveis e, como tal, aumentado o valor da sua empresa ao longo dos anos. Mas suponha que o seu principal concorrente - que dispõe de mais autonomia financeira - despoleta uma guerra de preços sem precedentes. Como reagir, se está preso ao serviço da dívida? E qual a estrutura de capitais ótima para evitar este tipo de problemas no futuro?

Importar e analisar informação disponível na Web é cada vez mais fácil. Neste artigo vamos mostrar como importar as demonstrações financeiras de uma empresa a partir de uma fonte acessível ao público para o Power BI Desktop e como construir um relatório simples com os dados nela contidos.

Porquê medir o valor da empresa?

A criação de valor é a principal responsabilidade da gestão. Quando a empresa obtém retornos do capital investido superiores ao seu custo de capital e, simultaneamente, é capaz de crescer de forma sustentada, o seu poder de criação de valor é imenso.

Avaliar essa capacidade é a principal funcionalidade desta aplicação.

Introduza as demonstrações financeiras históricas (até 10 anos), realize ajustes para a avaliação da empresa, defina pressupostos de crescimento e a aplicação criará demonstrações financeiras previsionais (até 15 anos) e determinará o valor da empresa.

É possível avaliar o impacto de novos projetos de investimento e comparar o resultado com um cenário “business as usual”.

Os resultados são apresentados de acordo com a seguinte estrutura:

     Valor das operações (VAL)

(+) Valor residual
(+) Valor dos projetos de investimento
(+) Valor residual dos projetos de investimento
(+) Ativo fixo financeiro
(+) Outros ativos não relacionados com a exploração

(=) Enterprise value

(-) Dívida financeira de curto prazo
(-) Dívida financeira de médio e longo prazo

(=) Equity value (valor da empresa)

 

Requisitos

  • Microsoft Excel 2010 ou superior
  • Windows 7 ou superior
  • Ligação à Internet


Comprar agora €55

Veja abaixo as imagens e o vídeo de demonstração.

 

A taxa de crescimento sustentável indica qual a taxa máxima a que uma empresa pode crescer o seu volume de negócios sem alterar significativamente as suas políticas financeiras ou modelo de negócios. Quando utilizada para análise financeira é uma ferramenta que diz aos gestores que variáveis determinam o crescimento da empresa e quando utilizada em funções de planeamento financeiro pode orientar a tomada de decisões futuras.

É incrível quanto valor pode ser criado por um pequeno grupo de pessoas verdadeiramente talentosas, afirma David Wargo da Putnam Investments. Encontrar as pessoas certas e “deixá-las em paz” é um dos princípios seguidos por oito gestores destacados no livro “The Outsiders” de William Thorndike. Neste livro acompanhamos por dentro os seus processos de decisão únicos destes gestores e como conduziram as empresas a performances extraordinárias.

A atual Gestão de Recursos Humanos (GRH) pensa global, abrangente e transversal, numa perspetiva de resposta a um mercado cada vez mais dinâmico e competitivo. Assim, se queremos organizações mais ágeis e flexíveis, adaptadas aos negócios de hoje, tem a GRH ser capaz de contribuir para as desenvolver neste sentido.