Hoje em dia, as empresas encontram-se sob cada vez maior pressão para tomar decisões suportadas em melhor informação, e de forma mais rápida. Por isso mesmo é cada vez mais importante que uma empresa opte pela integração de aplicações móveis de Business Intelligence nos seus processos de gestão, de forma a que os seus colaboradores possam ter acesso a toda a informação necessária em qualquer altura e em qualquer lugar, em tempo real.

Numa das nossas ações de formação em Power BI aplicado a gestão e finanças, fui confrontado com uma questão interessante: um dos formandos, o responsável financeiro de uma grande empresa de prestação de serviços de catering, pretendia uma previsão da procura de refeições servidas em cantinas que dependesse, entre diversos outros fatores, do tempo. Pela experiência dele no setor, quanto melhor estiver o tempo, menos as pessoas recorrem às cantinas e mais aproveitam para fazer as refeições fora. 

Como construir a previsão do tempo para um conjunto de cidades de forma automática e que sustente um modelo de previsão da procura em Power BI?

No artigo anterior, tive a oportunidade de introduzir a nova plataforma da Microsoft, o PowerApps, que lhe vai permitir criar aplicações móveis de uma forma rápida e sem necessidade de aprender a programar. É esta simplicidade que permite aos próprios gestores pôr mãos à obra e criar soluções à medida face aos desafios do seu próprio negócio! De forma a perceber um pouco melhor o potencial da plataforma, vamos ver alguns exemplos do tipo de tarefas poderão ser levadas a cabo pelo PowerApps…  

A plataforma Microsoft PowerApps é um serviço SaaS (software-as-a-service) que lhe permite criar e utilizar aplicações móveis no contexto da sua empresa, transversais a várias plataformas – seja no browser do seu computador, no seu telemóvel ou no seu tablet. Pode ter a sua primeira app a funcionar em poucas horas, sem necessitar de programar e, melhor de tudo, pode começar já!
 
 

Participei recentemente no Power BI World Tour em Copenhaga, uma cidade que bem conheço e aprecio, para ficar a conhecer por dentro o “estado da arte” da tecnologia Power BI. Neste evento, que juntou diversos especialistas da Microsoft vi como as soluções de business intelligence se irão assemelhar cada vez mais com aplicações integradas em que o utilizador gere todo o processo de informação, desde a recolha de dados até à análise de informação. O que esperar do futuro do BI?

Os ficheiros SAFT (Standard Audit File for Tax Purposes) são ficheiros normalizados que guardam muitos dados úteis sobre a atividade de uma empresa, como a faturação, os clientes, fornecedores, produtos, preços, entre muitos outros. Por serem uma obrigação fiscal, os sistemas informáticos de faturação e contabilidade geram automaticamente este tipo de ficheiros para que sejam posteriormente entregues à Autoridade Tributária. Mas como contêm dados muito interessantes do ponto de vista do desempenho da empresa, porque não utilizá-los também como suporte à tomada de decisões de gestão?

O livro “Power BI para gestão e finanças” está finalmente disponível nas livrarias! Ao fim de quase um ano de trabalho intenso, recebi da parte da FCA editora a informação que o meu livro está disponível para venda online e em várias livrarias do país.

Neste livro, condenso muita da minha experiência enquanto consultor e formador em Power BI e espero uma boa reação por parte dos leitores.

Para obter uma pré-visualização, visite a página da editora aqui.

A capacidade para reduzir o custo marginal da obtenção de dados, que após editados e transformados, serão a base para a tomada de decisão de praticamente tudo o que acontece nas organizações e a construção de dashboards interativos, automatizados e permanentemente atualizados são dois objetivos importantes e cada vez mais ao alcance do gestor financeiro. Estas mudanças, impostas pelas novas tecnologias de business intelligence, estão a tornar as competências de vários profissionais obsoletas.

A Inteligência Artificial (Artificial Intelligence, em inglês) é já um dos temas incontornáveis da atualidade. Bilhões de gigabytes de dados produzidos a cada dia, agrupados por dispositivos ligados em rede são o combustível perfeito para o desenvolvimento e crescimento desta tecnologia disruptiva.

A Inteligência Artificial é, no fundo, a simulação dos processos da inteligência humana feita por máquinas, especialmente por sistemas de computador. Estes processos incluem a aprendizagem (aprender com os erros), o raciocínio (aplicar regras lógicas para chegar a uma conclusão), reconhecer padrões (padrões visuais e sensoriais, como também padrões de comportamento) e a inferência (capacidade de conseguir aplicar o raciocínio nas situações do dia-a-dia).

Muitos são os que lutam para compreender o significado da informação quando esta é apresentada sob a forma de gráficos. Este problema é mais importante do que parece. Se tivermos em conta que os gráficos são uma excelente forma de sintetizar uma mensagem num mundo saturado de informação, saber que gráfico usar e como convencer uma audiência pode fazer toda a diferença. Não compreender o significado de um gráfico ou transmitir a informação errada porque se escolheu ou construiu o gráfico errado conduz à frustração geral.