sábado, 05 fevereiro 2011

Crédito pessoal: como se libertar da prisão das dívidas

Escrito por 

Quando descobre que tem valores em dívida no seu cartão de crédito, poderá parecer que está numa prisão financeira. De repente, deixa de poder ir jantar fora, comprar uma nova camisa ou até ir ao cinema sem se preocupar com o facto de que está a aumentar a sua dívida ou a utilizar dinheiro que poderia ser usado para amortizar o saldo do cartão de crédito.

Antes que possa descobrir como sair da dívida de cartão de crédito, tem que entender a razão pela qual está na actual situação. Como a maioria dos artigos e consultores financeiros lhe podem dizer, existem normalmente três motivos pelos quais as pessoas se atrasam nas suas contas:

1. Situações de emergência, como crises de saúde, problemas legais ou divórcio. São, normalmente, eventos únicos que podem fazer com que descarrile a curto prazo e, frequentemente, estão fora do seu controlo.

Se tem dívidas no cartão de crédito por causa de uma "desgraça", como, por exemplo, descobrir que tem cancro, que o seu casamento de quarenta anos vai terminar em divórcio ou que vai ser processado porque o seu filho adolescente conduziu sob a influência de álcool e matou alguém – o problema provavelmente não está relacionado com a forma como gasta o seu dinheiro. A vida intrometeu-se nos seus planos. É uma porcaria. O melhor que tem a fazer é começar de novo, talvez declarando falência.

2. Uma descida em rendimento, motivada pela perda de um emprego ou por lucros menores no seu negócio, sem um decréscimo correspondente nas despesas fixas. Evita mudar o seu estilo de vida porque continua a pensar que as novas oportunidades – novo emprego ou uma melhoria no mercado – estão mesmo ao virar da esquina. Entretanto, sangra todas as suas poupanças, investimentos e começa a acumular dívidas no cartão de crédito.

É frequente receber mensagens deste tipo, especialmente no pico da recessão. Pessoas com rendimentos significativamente acima da média – muitas vezes, rendimentos milionários mesmo – foram despedidas e em vez de cortar nas suas despesas, continuaram a esperar que as coisas melhorassem. Continuaram com o serviço de jardinagem, a ama, os sabonetes de 35 euros, as camisas Charvet e os casacos desportivos feitos por medida da Gieves & Hawkes.

Depois de semanas e meses, sem se aperceberem, as contas correntes e a prazo estão vazias, a dívida do cartão já escalou e, se não forem capazes de pagar a casa, algumas contas de poupança reforma poderão ser mexidas pelo banco (o que é um erro horrível, uma vez que, em muitos casos, mesmo em situações de falência, os juízes preferem deixar os planos de investimentos para a reforma interditos aos credores, protegendo os seus planos financeiros a longo prazo).

A única maneira de sair desta situação de dívida é passar de um estilo de vida opulento para um estilo de vida mais contido. Se realmente tem um conjunto de competências raras, como por exemplo ser um CFO conhecido e respeitado de uma grande empresa, é provável que acabe por ganhar muito dinheiro novamente. Mas, entretanto, tem que sobreviver financeiramente e cada dia que passa coloca-o ainda mais no vermelho. Se, tomara que não, entrar em amortizações negativas, então o jogo poderá acabar rapidamente.

3. Despesas excessivas porque vive acima das suas possibilidades ou porque não se apercebe que as suas despesas são demasiado elevadas em relação ao rendimento do agregado familiar

Se ganha 1€ e se gasta 1,05€, irá chegar uma altura em que perderá tudo. Se ganha 1€, mas se apenas gasta 0,70€, colocar esses 0,30€ em PPR e investimentos bons, sólidos e a longo prazo mais cedo ou mais tarde irá enriquecer. É aritmética simples.

Talvez tenha comprado um carro topo de gama ou exagerado nas férias. Seja o que for, até que consiga encontrar uma forma de gastar menos do que o que ganha, está lixado. O seu destino final é simples e não poderá escapar-lhe – você e as suas dívidas serão amigos para toda a vida enquanto os bancos estiverem dispostos e possam escravizá-lo por sua própria vontade.

 

Joshua Kennon

Joshua Kennon é um investidor privado, escritor e empreendedor. Escreve regularmente no seu blogue pessoal em www.joshuakennon.com e no Begginers Invest, que recomendamos.

  1. Comentários (0)

  2. Faça o seu comentário

Comentários (0)

Ainda não existem comentários a este artigo

Deixe os seus comentários

A comentar como convidado. Registe-se ou faça login para aceder à sua conta.
Anexos (0 / 3)
Share Your Location