quarta, 14 abril 2010

21 Princípios essenciais de etiqueta em entrevistas de emprego

Escrito por 
Não há fórmulas mágicas para conseguir um emprego ou se destacar pela positiva numa entrevista.
Mas numa economia tão competitiva como a actual, quem está consciente das normas de etiqueta a utilizar num momento de entrevista de emprego pode ganhar uns pontos de vantagem.
Neste artigo abordamos vinte e um princípios essenciais de etiqueta para que um entrevistador seja bem sucedido numa entrevista:
  1. Como já falamos em artigos anteriores (leia o artigo detalhado sobre este assunto aqui), analise bem a roupa que irá usar, cumprindo todos os pressupostos que leu no artigo acima referido. Reflicta se a escolha da roupa é adequada à organização para a qual está a concorrer. No sector da moda, teatro, publicidade e semelhantes deve usar algo criativo, enquanto no mundo corporativo deve cingir-se a algo sóbrio e idóneo. É costume nos jovens caírem em tentação de usar algo demasiado desportivo.
  2. O seu CV chegou à entrevista antes de si. Prepare o CV conscientemente, fazendo pesquisa e tentando que o seu CV se destaque dos outros. Se optar por colocar fotografia, tenha especial cuidado para que seja uma fotografia agradável.
  3. Nunca é demais reforçar: Nunca minta no CV! Aprenda a reformular ou a fazer a escolha certa de palavras. Em ultima instância pode omitir algumas coisas mas lembre-se "Apanha-se mais depressa um mentiroso do que um coxo" (provérbio popular)! Se omitiu algo, pode ser descoberto facilmente e, por isso, deve preparar de antemão uma explicação plausível (nunca diga "esqueci-me", claro), e ao dar a explicação não pode hesitar (por exemplo, "como estive nessa empresa pouco tempo, achei não que não era muito relevante", "como essa função não tinha relação com esta a que estou a concorrer, resolvi ter o cuidado de adaptar o meu CV antes de vos enviar a minha candidatura a esta função","Queria tornar o meu CV mais claro, ágil e conciso, e para isso tive de reduzir algumas partes").
  4. Não fume ou beba antes nem durante uma entrevista. Não vá a locais que tenham mau cheiro, por exemplo, uma praça de alimentação de um centro comercial (irá cheirar a "fritos" o tempo todo!) ou até uma perfumaria (irá misturar perfumes e pode ser uma má mistura).
  5. Chegue sempre um pouco antes da hora marcada (10 minutos é o ideal, pois se chegar cedo demais demonstra comportamento ansioso). Não se esqueça de fazer o trajecto uns dias antes, para não se perder.
  6. Faça uma pesquisa sobre a organização, não só na página oficial da internet, como também em jornais e revistas online, pedindo opiniões a colegas e procurando na imprensa especializada (por exemplo, jornais de negócios, etc.). Se tal for possível, tente descobrir antecipadamente também um pouco sobre o(s) entrevistador (es) como, por exemplo, nome, grau académico e função na empresa: saber alguns destes detalhes poderá deixá-lo mais confiante e preparado.
  7. Se encontrar outros entrevistados na sala de espera, converse mas não revele muito sobre si nem sobre o seu currículo. Tenha apenas uma conversa cordial. Nunca diga que está desesperado, ou que já foi a muitas entrevistas ou outros factos negativos. Nunca sabe com que está a conversar e não interessa nada que você seja o tema da entrevista seguinte! O mesmo se aplica a si: Não fale de outros candidatos durante a sua entrevista!. Aliás, uma nova técnica em grandes organizações e quando se trata da abertura de vaga para cargos competitivos, é colocar alguém da organização a observar discretamente os comportamentos de quem aguarda pela entrevista, para depois conferenciar com o júri! Se na sala encontrar alguém muito conversador, não evite a conversa. Pelo contrário, tente inverter a conversa a seu favor, tentando descobrir se a pessoa sabe algo mais do que você acerca da vaga ou dos entrevistadores.
  8. À entrada, pode iniciar por agradecer aquela oportunidade. Espere que o entrevistador lhe diga para se sentar e lhe indique o local adequado para o fazer. Usualmente, aguarda-se que o entrevistador estenda a mão para o aperto de mão, porém em profissões que exijam grande capacidade de comunicação, extroversão e criatividade, até é de bom tom iniciar o contacto (por exemplo, representantes de vendas, criativos, etc.).
  9. Não coloque nada em cima da mesa do entrevistador: nem carteiras e pastas, nem cotovelos, nem mãos ou pés. Não olhe para o relógio, não masque pastilha elástica e evite ao máximo interromper o entrevistador.
  10. Durante toda a entrevista esteja consciente da imagem que está a projectar. Eduque a voz, evite calão e se possível use algumas palavras eruditas ou termos próprios da vaga a que concorre.
  11. Sente-se direito na cadeira, com as mãos colocadas nos apoios laterais da cadeira ou sobre os joelhos, evitando posturas demasiado rígidas. Evite gesticular demasiado, baixar a cabeça, apoiar a cabeça com a mão e tapar a boca, fixar os olhos na mesa ou cruzar os braços (postura defensiva e desconfiada).
  12. Apesar de raro, pode acontecer que tenha de participar numa entrevista telefónica (é mais comum, por exemplo, quando se recruta alguém para trabalhar no estrangeiro), e neste caso a sua voz e todas as suas características (inclusive pausas e hesitações) são de grande importância. Se tiver um gravador, pode gravar um pouco da sua voz e ver se acha que está ideal (hoje em dia quase todos os portáteis e telemoveis têm essa funcionalidade: aproveite-a!)
  13. Se possível treine a sua postura num espelho ou, melhor ainda, encontre um bom amigo (de preferência uma pessoa atenta a pormenores e crítica) que lhe faça uma entrevista fictícia. Um outro excelente exercício é tentar imaginar que somos um operador de câmara e que está a ver a sua entrevista numa televisão. Imagine a câmara a filmá-lo, imagine-se a si próprio e reflicta se acha que está a causar impacto nos entrevistadores.
  14. Mentalize-se que naquele momento você é um vendedor a representar-se a si próprio. O produto que irá vender são as suas qualidades, experiências, competências e a sua personalidade.
  15. Se se tratar de uma entrevista de painel (com mais do que um entrevistador), não se assuste e não canalize o olhar para apenas um entrevistador. Distribua o olhar, a postura corporal e a resposta igualmente pelos vários entrevistadores.
  16. É útil saber que existe um tipo de entrevista chamado "Entrevista de stress". Não é muito comum porque exige bastante competência para o entrevistador. Este tipo de entrevista é mais utilizado em profissões cujo perfil profissional da pessoa a recrutar contenha competências de gestão de stress, lidar com a pressão e prazos e profissões que exigem concentração e elevada resistência ao cansaço (ex. controlador de tráfego, bolsa de valores, gestão de reclamações de clientes, etc.). Durante a entrevista de Stress o entrevistador pressiona o entrevistado de todas as formas possíveis, sempre formulando perguntas directas e até insultuosas (por exemplo "Então você acha que é capaz de executar esta função, eu acho que não!", "Acho que você não tem competências nenhumas!", "Você foi despedido várias vezes não foi? Acho que você não é capaz de lidar com este cargo!", etc.). Solução: mantenha-se calmo, pense que o entrevistador está a fazer isso para medir as suas competências de gestão de stress.
  17. Durante a entrevista deve demonstrar-se à vontade para discutir detalhadamente o seu CV e responder a todas as perguntas. Nunca é demais relembrar que tenha uma atitude positiva perante os entrevistadores e sobre si próprio (sem cair na arrogância).
  18. Lembre-se que paralelamente aos elementos profissionais, estão a ser avaliadas outras competências: a capacidade de comunicação, a autoconfiança e o auto conceito laboral, a estabilidade emocional, a capacidade de compromisso com a empresa, a energia e criatividade, etc.
  19. O salário costuma ser tema tabu para o entrevistado. Alguns autores acham que é um assunto que deve ser abordado pelo entrevistador. Se o entrevistado sentir que há realmente interesse em ser contratado, poderá abordar discretamente, perguntando se é possível saber mais detalhes sobre as condições de trabalho.
  20. No encerramento da entrevistada, agradeça e cumprimente o entrevistador, dirigindo-se-lhe pelo seu nome e título académico.
  21. Porém, no final de tudo nunca se esqueça de si próprio. Reflicta, quase no final da entrevista, se aquela vaga realmente lhe parece interessante para si. Pode não corresponder aos seus interesses e se forçar a admissão pode até estar a perder outras oportunidades! Depois de terminar e sair, faça uma auto-avaliação pessoal. Analise os seus pontos fortes e pontos a corrigir para futuras entrevistas.
Patrícia Araújo

Patrícia Araújo é Escritora, Consultora de RH e Formadora. É Psicóloga (Membro da Ordem dos Psicólogos Portugueses) e Mestre em Psicologia Organizacional pela Universidade do Porto e paralelamente é professora de Yoga., exerce consultas de psicologia (orientação psicologia positiva-humanista), sendo também docente universitária. Contacto: pattaraujo@gmail.com

  • Nenhum comentário encontado

Deixe os seus comentários

Comentar como convidado

0
Os seus comentários estão sujeitos a aprovação