Nuno Nogueira

Nuno Nogueira

Nuno Nogueira é gestor e administrador do Portal Gestão. Tem 20 anos de experiência na área financeira, no empreendedorismo e desenvolvimento de aplicações. É autor do livro "Power BI para gestão e finanças" da FCA Editora e formador do curso Power BI aplicado a gestão e finanças.

Numa das nossas ações de formação em Power BI aplicado a gestão e finanças, fui confrontado com uma questão interessante: um dos formandos, o responsável financeiro de uma grande empresa de prestação de serviços de catering, pretendia uma previsão da procura de refeições servidas em cantinas que dependesse, entre diversos outros fatores, do tempo. Pela experiência dele no setor, quanto melhor estiver o tempo, menos as pessoas recorrem às cantinas e mais aproveitam para fazer as refeições fora. 

Como construir a previsão do tempo para um conjunto de cidades de forma automática e que sustente um modelo de previsão da procura em Power BI?

Participei recentemente no Power BI World Tour em Copenhaga, uma cidade que bem conheço e aprecio, para ficar a conhecer por dentro o “estado da arte” da tecnologia Power BI. Neste evento, que juntou diversos especialistas da Microsoft vi como as soluções de business intelligence se irão assemelhar cada vez mais com aplicações integradas em que o utilizador gere todo o processo de informação, desde a recolha de dados até à análise de informação. O que esperar do futuro do BI?

Os ficheiros SAFT (Standard Audit File for Tax Purposes) são ficheiros normalizados que guardam muitos dados úteis sobre a atividade de uma empresa, como a faturação, os clientes, fornecedores, produtos, preços, entre muitos outros. Por serem uma obrigação fiscal, os sistemas informáticos de faturação e contabilidade geram automaticamente este tipo de ficheiros para que sejam posteriormente entregues à Autoridade Tributária. Mas como contêm dados muito interessantes do ponto de vista do desempenho da empresa, porque não utilizá-los também como suporte à tomada de decisões de gestão?

O livro “Power BI para gestão e finanças” está finalmente disponível nas livrarias! Ao fim de quase um ano de trabalho intenso, recebi da parte da FCA editora a informação que o meu livro está disponível para venda online e em várias livrarias do país.

Neste livro, condenso muita da minha experiência enquanto consultor e formador em Power BI e espero uma boa reação por parte dos leitores.

Para obter uma pré-visualização, visite a página da editora aqui.

O caminho mais seguro para o Inferno é o gradual – o declive delicado, o piso macio, sem curvas acentuadas, sem marcos, sem sinais. Vem esta frase de CS Lewis, o autor britânico, a propósito das férias de verão e da oportunidade que nos oferecem para travar a rotina e descobrir novas ideias. Aqui ficam alguns esboços do que poderá ser um caminho a seguir a partir de setembro!

A capacidade para reduzir o custo marginal da obtenção de dados, que após editados e transformados, serão a base para a tomada de decisão de praticamente tudo o que acontece nas organizações e a construção de dashboards interativos, automatizados e permanentemente atualizados são dois objetivos importantes e cada vez mais ao alcance do gestor financeiro. Estas mudanças, impostas pelas novas tecnologias de business intelligence, estão a tornar as competências de vários profissionais obsoletas.

Nem todos estão familiarizados com a terminologia, por isso comecemos por clarificar alguns termos para uniformizarmos a linguagem. Um dashboard pode ser entendido um como painel de instrumentos. Para entender melhor o conceito, imagine-se a pilotar um avião. A todo o momento, precisa de saber qual a velocidade, altitude, nível de combustível, temperatura, entre muitas outras variáveis críticas para que o objetivo de chegar atempadamente e em segurança ao seu destino seja cumprido.

Esta estrutura é semelhante à If Then. A principal diferença é que a Select Case avalia qualquer número de condições simultaneamente.

As caixas de diálogo, os botões e os menus são os principais meios de comunicação entre o utilizador e o Excel. No VBA temos a possibilidade de criar novos instrumentos personalizados que executam determinadas instruções de código. Esses instrumentos designam-se por Formulários (UserForms) e são acedidos a partir do editor VBA.

O gravador de macros é uma daquelas ferramentas do Excel que mais nos surpreende. Mesmo que não conheça o mínimo de VBA, permite-lhe construir macros sem ter de escrever uma linha de código. Em poucos minutos tem a possibilidade de simplificar radicalmente o trabalho mais aborrecido. Veja como funciona.

Pág. 1 de 43