pten
domingo, 26 agosto 2012

Sou freelancer…com muito gosto!

Escrito por 

Nos últimos anos, o número de profissionais freelancers tem crescido a olhos vistos. Sabemos, claro, que muitas pessoas acabam por abraçar este projeto de vida um pouco "forçadas" e são poucos os que realmente gostam de ser freelancers.

Eu costumo distinguir os profissionais liberais, independentes ou outras terminologias mais "contabilísticas", digamos, dos que usam especificamente a narrativa "Freelancer".

Portugal precisa de mais Freelancers. Se tentarmos compreender todos os lados da questão, é compreensível que as empresas não consigam arcar com todos os custos com um contratado (seguro de trabalho, segurança social, subsídios diversos, etc.)... você consegue compreender essa perspetiva?

Além disso, apresentam-se cada vez mais vantagens em ser freelancer, incluindo a nova legislação que permitirá acumular o trabalho independente recibos verdes com subsídio de desemprego e, outra legislação que em breve, permitirá a trabalhadores a "recibos verdes", serem elegíveis para receber subsídio de desemprego (se cumprirem alguns critérios). No entanto, este artigo não pretende ser jurídico mas sim, abordar a identidade de Ser Freelancer.

Se pensar bem, existe apenas uma desvantagem em ser freelancer e ela é exatamente, a imprevisibilidade. Não sabemos que trabalho teremos no próximo mês ou ano, e por vezes, nem na próxima semana. Porém, dada a situação económica atual, o contrato de trabalho está longe e fornecer a estabilidade ou previsibilidade que proporcionava há umas décadas atrás: o melhor é pensar que poderá ser dispensado a qualquer hora!

De resto, são imensas as vantagens em ser freelancer:

  1. O verdadeiro Freelancer, ou prestador de serviços, segundo a legislação, não tem hierarquia, desenvolve o seu trabalho ou tarefa com autonomia e entrega a tarefa desenvolvida, contra-pagamento.
  2. O Freelancer gere o seu próprio tempo.
  3. O Freelancer escolhe as tarefas que deseja ou não desenvolver.
  4. O Freelancer pode mudar de ramo, mudar de tarefas, mudar de trabalhos, mudar de local, mudar de cidade ou de país!
  5. O Freelancer paga um pouco mais de impostos do que um trabalhador com contrato de trabalho, mas, enquanto que o trabalhador é obrigado a pagar sempre o mesmo, os Prestadores de serviços podem beneficiar de 1 ano de isenção de contribuições para segurança social e, mais tarde, podem pedir a redução das contribuições.
  6. O Freelancer tem de ter técnicas de gestão pessoal mais eficazes. O velho ditado "save for a rainy day" ou a estória da cigarra e da formiga são boas lições. Quem não sabe o que é um salário, ou um subsídio de férias ou de Natal, tem de saber poupar até chegar um novo trabalho.
  7. O Freelancer tem mais tempo livre, para a família e para si próprio e muitos estudos defendem que gera menos stress laboral, pois não sofre tanto com pressões da hierarquia ou pressões organizacionais como um trabalhador que está "encerrado na mesma empresa".
  8. O Freelancer, seja em que ramo for, ou atualiza-se ou morre. Tanto tem de se atualizar com formação, como atualizar-se nas "marés do mercado". O mercado pede pessoas, competências e tarefas diferentes, em diferentes momentos históricos e ate contextos geográficos. Para ter perfil de freelancer você tem de ter a mente totalmente aberta, estar a par dar flutuações do mercado, raramente dizer não e manter uma atitude altamente positiva!
  9. Ser freelancer é um caminho solitário, sem dúvida. Se você não aprecia a solidão (no sentido saudável e não no sentido negativo), se não gostar de estar sozinho consigo próprio, evite este caminho. Trabalhar sozinho implica também ter disciplina pessoal, já que não há ninguém "em cima" de nós a exigir nada...
  10. Um freelancer tem de dominar o Networking. Só com boa rede de contactos e alguma publicidade conseguirá ter o fluxo de trabalho que tanto deseja!
  11. Ser freelancer é um estilo de vida. É não gostar de trabalhar "das 9h as 5h". É ser apaixonado pelo que se faz. É ver em vida num conjunto de projetos, que começam e terminam! É Gostar de desafios mas também de finitude, porque os projetos terminam e o próximo projeto será totalmente diferente! Você aceita o desafio de ser freelancer?
Patrícia Araújo

Patrícia Araújo é Escritora, Consultora de RH e Formadora. É Psicóloga (Membro da Ordem dos Psicólogos Portugueses) e Mestre em Psicologia Organizacional pela Universidade do Porto e paralelamente é professora de Yoga., exerce consultas de psicologia (orientação psicologia positiva-humanista), sendo também docente universitária. Contacto: pattaraujo@gmail.com

  1. Comentários (0)

  2. Faça o seu comentário

Comentários (0)

Ainda não existem comentários a este artigo

Deixe os seus comentários

  1. A comentar como convidado. Registe-se ou faça login para aceder à sua conta.
Anexos (0 / 3)
Share Your Location