O livro “Power BI para gestão e finanças” está finalmente disponível nas livrarias! Ao fim de quase um ano de trabalho intenso, recebi da parte da FCA editora a informação que o meu livro está disponível para venda online e em várias livrarias do país.

Neste livro, condenso muita da minha experiência enquanto consultor e formador em Power BI e espero uma boa reação por parte dos leitores.

Para obter uma pré-visualização, visite a página da editora aqui.

Todas as empresas operam com um determinado nível de risco de negócio, relacionado com a incerteza inerente às projeções do resultado operacional, devendo-se isto à incapacidade de a empresa conseguir prever com exatidão o seu volume de negócios futuro, bem como todos os custos decorrentes da sua atividade operacional. São necessários, então, instrumentos que permitam medir o risco de negócio e sejam um auxílio ao gestor na procura de maior estabilidade possível. Neste artigo, iremos abordar um desses instrumentos – o Grau de Alavancagem Operacional.

A informação vem dos dados e melhores decisões são tomadas quando suportadas por dados . Os dados vão crescendo à medida que novos dados são criados, o que dificulta o processo de decisão. É, portanto, importante conseguir tratar os dados de forma a facilitar as nossas decisões. O desafio é grande, mas o Excel tem duas ferramentas para nos ajudar nesta tarefa: a «segmentação de dados» e a «linha cronológica».

No artigo anterior, desenvolvemos a importância de, na demonstração de resultados de uma empresa, ir mais além do que a simples utilização dos resultados líquidos para aferir a situação económica e financeira da empresa. Percebemos que através da análise vertical, é possível aferir a estrutura de custos da empresa – quer em proporção dos custos totais, quer em proporção do seu volume de negócios – e, assim, perceber de que forma a empresa afeta os recursos no decorrer da sua atividade. A análise horizontal (ou temporal) propiciará, por sua vez, uma visão complementar à técnica anterior.

Com o Excel 2016 é possível criarmos uma tabela de câmbios, que pode ser atualizada em função das suas necessidades. O Excel 2016 disponibiliza um conjunto avançado de ferramentas denominadas «Obter e Transformar Dados». Estas ferramentas, com base no suplemento Power Query, permitem ligar, combinar e modelar dados provenientes de várias origens. Com esta ferramenta, a importação e modelação (tratamento) dos dados é uma tarefa mais simplificada. A alteração do tipo de dados importados, a divisão de colunas, a agregação de dados, etc são funcionalidades que melhoram a qualidade do seu trabalho e permitem-lhe poupar tempo.

Periodicamente, somos confrontados com notícias nos jornais e televisões que nos dão conta dos resultados líquidos das várias empresas cotadas na bolsa. Isto acaba por ser natural, uma vez que são os lucros ou prejuízos que chamam a atenção ao leitor comum. Todavia, a publicação periódica dos resultados de uma empresa expõe um conjunto de dados que serão, igualmente, muito interessantes para quem tiver algum interesse em aprofundar a compreensão da performance da empresa.