Risco e Retorno

Escrito por 
O risco e o retorno associados a qualquer tipo de investimento são as duas faces da mesma moeda. Quanto mais "apetite" por rentabilidades elevadas tiver, maior será o nível de risco que terá de aceitar.
 
 

Uma coisa com que tanto os investidores como os especuladores têm de lidar constantemente é a necessidade de equilibrar o risco e o retorno. Como regra geral, quanto maior o risco associado a um investimento, maior será o retorno que se pode conseguir. Apesar de isto ser verdade, existem outros factores a ter em conta para determinar o grau de risco em relação ao retorno oferecido. Alguns factores podem ser determinantes para aferir o risco em relação ao retorno:

Volatilidade

Isto é a subida ou queda de preço de um activo financeiro. O que acontece é que os mercados estão sempre a avaliar o que está a acontecer para se conseguir uma estimativa do que vai acontecer no futuro. Isto significa que estas expectativas futuras podem fazer com que os preços subam ou desçam drasticamente. Estas variações enormes são o conceito básico de volatilidade.

Conhecer vários tipos de risco

Em qualquer tipo de investimento, existem diferentes tipos de risco que vai ter de compreender para decidir se determinado investimento se adequa a si. Alguns destes riscos que se encontram sempre incluem:

    • risco de mercado - os riscos que provêem dos movimentos positivos e negativos que ocorrem sempre no mercado bolsista.

    • risco político - o risco de determinado país mudar políticas que afectam aquilo em que se investiu.

    • risco de taxas de juro - o valor do investimento pode ser afectado pela variação das taxas de juro.

    • risco de crédito - quando determinada empresa ou indivíduo consegue pagar o que lhe foi emprestado ou os juros desse valor.

    • risco de país - o risco associado ao facto de determinado país não ser capaz de pagar as suas obrigações financeiras.

    • risco de câmbio externo - quando as variações das taxas de câmbio de determinado país afectam o investimento.

    Usar a pirâmide de risco

    A pirâmide de risco é simplesmente uma pirâmide que mostra os diferentes tipos de investimentos, desde o menos arriscado ao mais arriscado. Na base da pirâmide encontram-se os investimentos menos arriscados, que incluem: obrigações do tesouro, instrumentos dos mercados de câmbio, certificados de depósito, notas e dinheiro (ou liquidez). A meio da pirâmide estão os bens com um pouco mais de risco que incluem: bens imobiliários, fundos de investimento, acções e obrigações. No cume ficam os investimentos de maior risco: opções, futuros e contratos por diferença (CFDs).

    Um bom exemplo de avaliação do risco seria analisar o preço de uma acção cujo pico máximo a 52 semanas tenha atingido os €200,00 e cujo valor mínimo durante o mesmo período tenha sido de €15,00. Quando se analisam as subidas e descidas das últimas 52 semanas deste título, verificamos que se trata de uma acção muito volátil. Isto significa que esta acção pode igualmente proporcionar retornos mais elevados.

    Compreender a relação entre risco e retorno

    Obviamente, o risco e o retorno andam de mãos dadas quando se fala em investimento. Alguns factores que vão interferir na determinação do nível de risco incluem: a volatilidade, o conhecimento dos diferentes tipos de risco, a compreensão do funcionamento de uma pirâmide de risco e a percepção de como o risco afecta o retorno. Isto vai permitir que seja capaz de tomar decisões de investimento prudentes se comparar os dois factores um com o outro.

    O investidor deverá ser capaz de avaliar os diferentes tipos de risco associados a cada tipo de investimento. Numa perspectiva de construção de uma carteira de investimentos, deverá começar por investir em activos com menor risco, tipicamente fundos de investimento, depósitos a prazo e obrigações. À medida que a sua carteira vai ganhando dimensão, poderá expor-se a níveis de risco superiores, procurando assim uma performance de rentabilidade superior: acções, derivados e futuros.

    Nuno Nogueira

    Nuno Nogueira é o criador do projeto portal-gestao.com. Tem 18 anos de experiência profissional. Trabalhou em Portugal, Dinamarca e Holanda nas áreas comercial, financeira e controlo de gestão.

    Google

    Website: www.portal-gestao.com

    Deixe os seus comentários

    Comentar como convidado

    0
    Os seus comentários estão sujeitos a aprovação
    termos e condições.

    Pessoas nesta conversa

    Back to top