Funções do departamento financeiro

Escrito por 
As funções do departamento financeiro de uma empresa incluem a gestão do dinheiro, gestão de investimentos, gestão do risco financeiro e as relações com os investidores. Esta é uma descrição geral, não uma definição exaustiva e existe uma sobreposição considerável nestas classificações. As funções do departamento financeiro lidam também com áreas financeiras complexas, tais como taxas de câmbio, divisas estrangeiras, alterações das taxas de juro, entre outras coisas. As funções do departamento financeiro podem também diferir, por exemplo, entre uma empresa de produção e um banco.

Gestão de Tesouraria

A gestão do dinheiro está relacionada com a gestão da liquidez, pagamentos e cobranças, e com a banca electrónica, que são por sua vez áreas complementares.

A gestão da tesouraria envolve a previsão a curto e a longo prazo de necessidades de fundos, organização do financiamento, excedentes de tesouraria e a manutenção do equilíbrio adequado entre activo e passivo. O objectivo é oferecer o dinheiro requerido pela empresa ao custo mais baixo. A banca electrónica, os procedimentos de segurança electrónica e os extractos bancários electrónicos são todos utilizados para optimizar a liquidez. Para prever as necessidades de dinheiro, é também necessária uma análise detalhada de pagamentos e cobranças.

Dessa forma, pagamentos e cobranças são parte integrante da gestão de tesouraria. Em seguida serão apresentados problemas ilustrativos dessa gestão:

  • Gestão de contas bancárias - Uma grande empresa pode ter inúmeras contas bancárias espalhadas por todo o mundo. Neste caso, mesmo obter a disponibilidade bancária pode demorar dias;
  • Reconciliações bancárias - As contas bancárias necessitam de ser reconciliadas com a quantia de dinheiro para se poder dominar as transacções de dinheiro;
  • Processamento de pagamentos e cobranças - O agendamento de pagamentos e cobranças deverá estar disponível para que se possa entender os fluxos de entrada e de saída de dinheiro futuros. Para empresas multinacionais, tais dados deverão ser recolhidos a partir das filiais e consolidados para análise;
  • Previsões de tesouraria - Incluem as previsões para as filiais e diferentes unidades e necessitam de ser consolidadas numa previsão central. Períodos de tempo, tais como curto prazo vs longo prazo, necessitam de ser especificados. Os modelos de previsões de tesouraria necessitam de ser desenvolvidos e apreciados. Estas diferentes previsões podem surgir em diferentes formatos de ficheiros e poderão ser necessários ajustes de câmbio. Da mesma forma, os fluxos de tesouraria devem ser classificados de forma apropriada; por exemplo, autorizado, não autorizado, orçamental ou financeiro;
  • Problemas globais - Gerir dinheiro em vários países pode colocar problemas, tais como considerações reguladoras, impostos, padrões bancários nacionais para o saldo mínimo e instrumentos disponíveis para os investimentos e financiamento.

A gestão de investimentos está relacionada com os investimentos em títulos e valores, emissão de dívida e instrumentos de liquidez e venda e resgate destes instrumentos. Estas actividades exigem acesso a informações sobre o mercado de valores, mercados financeiros, mercados de obrigações de rendimento fixo, taxas de conversão monetárias e derivados. O director financeiro também precisa de obter uma visão sobre as posições de mercado, a capacidade de acompanhar, verificar e completar transacções e ligações de retaguarda no sistema de contabilidade.

Gestão de Riscos Financeiros

A gestão de risco envolve a avaliação dos riscos da liquidez, do crédito, das taxas de juro, da moeda e do mercado de valores. O risco de liquidez é o risco de a empresa não ser capaz de cumprir com os seus compromissos a curto e longo prazo. A avaliação deste risco faz parte da gestão de liquidez.

As políticas financeiras, muitas vezes, estabelecem os critérios aplicáveis aos ratings de crédito para terceiras partes implicados ao mesmo tempo que investem em bens monetários ou que fazem contratos derivados. O risco de crédito trata da questão se os parceiros comerciais merecem ou não crédito e, no caso de transacções internacionais, isto poderá incluir também a análise do risco do próprio país.

Os riscos de taxas de juro lidam com as alterações nas taxas de juro e margens de lucro e os efeitos consequentes dos custos de financiamento, retornos de investimentos e avaliações dos investimentos ou dívidas. Estas mudanças precisam de ser monitorizadas e precisam de ser tomadas medidas adequadas que possam reduzir o risco.

O risco cambial é o risco que afecta as actividades de uma organização ou o valor de um investimento caso hajam mudanças nas taxas de conversão monetárias. Os riscos relacionados com as conversões são importantes para as empresas que obtêm rendimentos de outros países, uma vez que as mudanças adversas nas taxas de conversão podem afectar os resultados.

Os riscos cambiais e de taxas de juro podem ser geridos através de estratégias de cobertura de riscos, consideradas ou não no orçamento, como forwards, futuros, swaps, entre outros. O risco do mercado de valores é o risco que existe na flutuação do valor de mercado e do eventual declínio do portefólio de acções que a empresa possui.

Relações com Investidores

As funções do departamento financeiro também poderão incluir lidar com investidores actuais e prospectivos, bem como oferecer-lhes informações relevantes e fiáveis.

Quer dominar o Excel para gestão de empresas? Inscreva-se no nosso curso online!

Nuno Nogueira

Gestor e administrador do portal-gestao.com

Google

Website: www.portal-gestao.com

Deixe os seus comentários

Comentar como convidado

0
Os seus comentários estão sujeitos a aprovação
termos e condições.

Pessoas nesta conversa